segunda-feira, 7 de março de 2011

Escolhendo o gato certo para sua familia

Antes de adotar um gato, considere com cuidado o compromisso que você está assumindo. Gatos sem acesso a rua podem viver entre 15 e 20 anos. Seja honesto consigo mesmo. Sua situação de vida é estável o suficiente para acomodar um animal de estimação por este período de tempo? Abrigos para animais estão lotados de animais que foram abandonados porque os seus proprietários tiveram que se mudar e não podiam levar seus animais consigo. É difícil achar bons lares para gatos adultos. Também há considerações financeiras, o custo estimado de se manter um gato por um ano é de no mínimo R$600,00. Não é justo acolher um gato em sua família para depois abandoná-lo quando não houver dinheiro para alimentação, granulado higiênico ou veterinário. Há um compromisso com o seu tempo. É comum gatos serem descritos como animais de estimação de baixa-manutenção, que requerem pouco do nosso tempo e nossa atenção. Na verdade gatos são os mais inteligentes de todos os nossos animais domésticos, e precisam de um ambiente estimulante para que possam se desenvolver plenamente. Eles também criam laços emocionais com seus donos e podem sofrer de ansiedade causada pela separação quando o proprietário não está em casa. Gatos entediados e solitários manifestam a sua infelicidade e seu stress das maneiras mais variadas, tais como limpar-se em excesso (lambendo-se tanto que os pêlos caem), comer em excesso, arranhar destrutivamente, sujar a casa e ter depressão. Uma decisão muito bem pensada de adotar em gato ou um gatinho pode resultar em um relacionamento longo e mutuamente gratificante, mas uma decisão tomada por impulso significará um profundo sofrimento para a família e para o felino. Filhotes são fofinhos... e bagunceiros. Todo mundo adora gatinhos! Eles são adoráveis - macios e peludos, aventureiros e brincalhões, cômicos e maluquinhos. Eles são irresistíveis, mas um filhote pode não ser a melhor escolha para você. Até mesmo pessoas que têm gatos há muito tempo às vezes se esquecem que ter um gatinho na casa é quase o mesmo que convidar uma criança pequena para morar com você. De repente sua casa se torna uma Disneylândia felina. Do ponto de vista do gatinho, tudo foi criado para o seu entretenimento. Cortinas foram feitas para serem escaladas (assim como as nossas pernas - com ou sem calças compridas), cordões e fios elétricos foram feitos para serem boxeados e mastigados, tudo foi feito para ser experimentado, e alvos móveis (incluindo pés e calcanhares) foram feitos para serem atacados de surpresa e mordidos. Adotar um filhote continua sendo uma boa idéia? Se a resposta for "sim" e você pode mesmo transformar sua casa numa casa à prova de filhotes, então um filhotinho pode ser uma boa escolha para você. O filhote será mais feliz e saudável se tiver um companheiro de brincadeiras, então adote dois! Acredite ou não, você e sua casa serão poupados se o gatinho tiver um amigo para perseguir. Gatinhos que brincam entre si logo aprendem a controlar a força nas brincadeiras. Se ele morder muito forte, o amigo pára de brincar - essa é uma lição valiosa que você vai apreciar quando ele tiver os dentes definitivos. A idade engraçadinha dos filhotes é curta. Aos seis meses, o bichaninho parece e age em muitos aspectos como um adulto. Para algumas pessoas a melhor idéia é pular a idade de filhotinho e adotar um adulto. Se na sua casa mora uma pessoa de idade ou uma criança de menos de cinco anos, um gato adulto, ao invés de um filhote, é a melhor escolha para a sua família. Filhotes estão sujeitos a serem pisados muito facilmente, e seus ataques de brincadeira podem facilmente machucar alguém de mais idade. Os gatos aprendem a retrair suas garras e inibir seu instinto de morder quando ficam mais velhos, mas até lá, a vovó e o júnior podem ser bem prejudicados. Crianças pequenas também podem ser uma ameaça substancial à saúde e ao bem estar do filhote. Naturalmente, as crianças vão querer pegar e segurar a única criaturinha viva menor do que elas que elas conhecem. Quando o filhote se debate para se soltar, elas apertam mais para manterem o filhote nos seus braços. O gatinho pode sofrer danos internos, e a criança pode ser mordida ou arranhada. É necessária uma supervisão constante para evitar tragédias desse tipo. Adultos - muitas vezes, uma ótima opção. Famílias com crianças pequenas se saem melhor selecionando um gato adulto macho, castrado, com uma personalidade tranqüila para ser seu bichinho de estimação. Machos geralmente toleram ser manuseados mais do que as fêmeas, e se o gato tem mais de 18 meses de idade, sua personalidade e temperamento já estão bem estabelecidos. Muitas vezes os proprietários adotam um filhote amigável e fofinho para depois descobrir, quando ele amadurece, que sua personalidade pode mudar (por causa da influência dos genes do pai). Numa pesquisa conduzida pela sociedade protetora de Massachusetts, 40% dos entrevistados escolheram não adotar um animal mais velho por achar que ele não poderia ser treinado. Essa é uma conclusão infeliz, pois muitos animais mais velhos já são bem socializados e já estão treinados. Mesmo os que não foram respondem muito bem a técnicas de modificação de comportamento. Escolhendo um gato para o seu gato, se você já tem um gato em casa, é importante levar em conta sua personalidade e nível de atividade antes de escolher um outro companheiro felino. Se você não considerar bem essa decisão importante, sua casa poderá virar uma verdadeira zona de guerra. Tenha em mente as seguintes dicas quando escolher o próximo membro da sua família (lembre-se: são apenas dicas, e podem existir exceções à regra):

— se você tem uma fêmea adulta que tem sido "filha única" por um tempo, o melhor é adotar uma fêmea mais nova. Machos, mesmo os mais amigáveis, podem subjugar e assustar as fêmeas. Filhotes machos, apesar de serem mais facilmente dominados pelas fêmeas, crescem e viram adolescentes bagunceiros que se envolvem em brincadeiras de tocaia e luta (o que não é exatamente a idéia de divertimento de uma fêmea)

— se seu gatinho é um macho novo e ativo, ele facilmente se adaptaria a um coleguinha macho que compartilharia de seu entusiasmo por brincadeiras vigorosas.— um gato macho castrado, mais tranquilo e de mais idade pode achar interessante "adotar" um filhote (macho ou fêmea). Eles normalmente são melhores substitutos de mãe do que fêmeas castradas. Fêmeas, em geral, não aceitam tão bem novos moradores.

— machos tendem a se dar bem entre si, a não ser que tenham personalidades dominantes. Um gato dominante se esfrega muito nos objetos (para marcar território), gosta de ficar em lugares altos (para supervisionar) e em passagens (para controlar a entrada de certos cômodos) e não demonstra medo, ou demonstra muito pouco. Qualquer que seja a combinação, uma apresentação feita devagar e de maneira sistemática vai ajudar a garantir que o gato residente e o novo morador dividam a casa amigavelmente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário