domingo, 27 de fevereiro de 2011

dúvidas felinas

Filhotes








Pergunta 1. Adotei um gatinho. Ele já come alimentos molhados no leite. Estou dando ração no leite, mas notei que as fezes dele estão muito duras; o que fazer? Continuo com a ração?



Se ele está comendo ração para filhotes, continue dando. Você pode misturar um pouco de ração úmida (de latinha, ou de sachê), que ajuda a tornar as fezes menos duras. Se as fezes estiverem, além de duras, muito ressecadas, você pode dar a ele 1/2 colher de café de óleo de girassol e ver se melhora. Não se esqueça de deixar vasilhas de água fresca em locais acessíveis para ele.







Pergunta 2. Tenho um gatinho muito jovem. Ele chora muito, pode ser que está procurando a mãe ou pode estar com dores?



Ele pode estar chorando pela falta da mãe, que significa, para ele, conforto, tranqüilidade, temperatura quentinha, comida e água. Se tudo isso estiver sendo fornecido a ele, procure ver se sua barriga não está estufada de gases. Faça massagens na barriguinha e também no corpo de maneira geral, simulando a mãe lambendo o filhote (além de limpar, é um estímulo de tato que todo filhote precisa até os três meses de idade). Se ele já tem mais de dois meses, já está na fase de brincar. Gaste um tempo com ele, jogando bolinhas de papel ou de papel alumínio, ratinhos de brinquedo, ou outros divertimentos para ele correr atrás e pegar. Ter contato com outros gatos e com várias pessoas e crianças nessa fase é essencial para que o gatinho cresça “psicologicamente” saudável: tranqüilo, confiante e feliz.



Se o gato não parar de chorar, leve ao Veterinário para um exame geral.







Pergunta 3. Estou com uma gatinha que peguei da rua, e desconfio que deva ter no máximo um mês de idade. Por ela ser de origem duvidosa, qual a data ideal para começar com a vacinação e com vermífugos? Eu gostaria de num futuro próximo ter uma outra gatinha, há alguma restrição com relação a isso?



Quando a gente conhece a mãe do gato e sabe que ela foi vacinada, a vacinação deve começar com 6 a 8 semanas de vida, logo após o desmame. No caso da sua gatinha, com origem desconhecida, recomenda-se começar a vacinação o quanto antes, a partir de um mês de idade. Devem ser aplicadas 3 doses da vacina tríplice ou quádrupla felina, com intervalo de 1 mês entre cada, ou até com intervalo menor, dependendo do protocolo do seu Veterinário. Aos 5 meses de idade, é aplicada uma dose de vacina antirábica, que é obrigatória por lei. Tanto a tríplice (ou quádrupla) quanto a antirábica devem ser reforçadas anualmente. O ideal é que o vermífugo seja dado alguns dias antes da vacinação, para que, eliminando os parasitas, o gato possa reagir melhor à vacina. Isso também depende do Veterinário, então ***é imprescindível que todo gatinho novo, principalmente aqueles que vêm da rua, seja levado o mais rápido possível para uma consulta, onde passará por exame clínico completo.



*** Lembro também aqui que APENAS o Médico Veterinário pode aplicar vacinas e que a venda de vacinas em casas de ração é proibida. O Veterinário é o único que pode examinar e atestar se o gato está saudável para receber as vacinas.



Não há restrições com relação a ter outros animais, pelo contrário: gatos que crescem e convivem com outros gatos são mais felizes e desenvolvem menos problemas de comportamento; sabem diferenciar o que é ser gato do que é ser gente, não ficam entediados e crescem mais confiantes. Dois pontos muito importantes quando se pega outro gatinho são:



1 – Passar no Veterinário antes de qualquer coisa, para fazer exame clínico e laboratorial do gatinho novo; mesmo que o gatinho esteja saudável, recomenda-se quarentena em um local isolado do outro gato, até que passem o período de incubação de diversas doenças virais que podem acometer qualquer gato, seja de rua, de abrigo, de uma família ou de criador.



2 – Introdução paciente e amigável dos dois felinos, para que venham a ser grandes amigos. Não chegue em casa com o gatinho novo e mostre ao seu gato, pois o olhar do mais velho certamente irá assustar o pequeno, que não vai reagir da forma que você gostaria; ao invés disso, deixe que eles se conheçam antes pelos cheiros, colocando um de cada lado de uma porta fechada.







Pergunta 4. Com quanto tempo de vida os filhotes podem ser desmamados?



A partir de 3 a 4 semanas de idade os filhotes de gato começam a imitar a mãe, comendo ração e bebendo água. Mas o ideal é que sejam separados da mãe e dos irmãos com no mínimo 6 a 8 semanas de vida, pois esse período é extremamente importante para o gatinho aprender a se comportar direito: ele começa a brincar com os irmãos, aprendendo assim a força de sua mordida; ele começa a explorar todo o ambiente, mas ainda precisa do apoio da mãe, caso se sinta perdido. O desmame precoce, antes de 6 semanas, leva a distúrbios comportamentais: o gatinho cresce inseguro, medroso e até agressivo. Durante essa fase, chamada período de socialização, o filhote é muito ativo e curioso e deve ter contato com as mais variadas situações e pessoas: crianças, cachorros que gostam de gatos, carro, passeio, barulhos, caixinha de transporte, corte de unhas, manipulação da boca, escova do pêlo etc, o que é importante para que conheçam de tudo e assim se adaptem a qualquer situação quando adultos, além de facilitar as idas ao Veterinário. Cuidado com as lojas de animais! Os gatinhos não podem passar uma semana inteira numa gaiola, sem nada pra fazer.







Pergunta 5. Ganhei uma gatinha de 1 mês. Gostaria de saber quando devo levá-la ao veterinário?



Assim que temos um animal novo, principalmente um filhote, é ideal levá-lo ao Veterinário o quanto antes. O Veterinário vai examinar o gatinho e recomendar o vermífugo adequado, assim como marcar as datas das vacinas. A vacina tríplice ou quádrupla é aplicada em geral com 2 meses de idade, nos casos em que o filhote é desmamado por volta dessa idade. Nos casos em que o desmame ocorre precocemente, como o seu gatinho, ela deve ser aplicada mais cedo, desde que o filhote esteja saudável. Na primeira consulta, pergunte ao Veterinário qual ração ele recomenda e peça a ele pra lhe falar os sintomas de possíveis problemas que o gato pode ter enquanto filhote, para que você fique tranqüila em relação ao que fazer e também para que seja criada uma relação de confiança entre você e o seu Veterinário. O filhote ainda depende da mãe (no caso, você) para ajudar em eventuais trapalhadas, então esteja sempre atenta ao ambiente onde ele fica quando está sozinho, para que NÃO suba em locais altos, de onde possa cair e se machucar. Cuidado com objetos perigosos e pesados, que possam cair, e também com fios e tomadas.







Pergunta 6. Adotei um gatinho “vira-lata” na Suipa-RJ e aparentemente ele está com cerca de 1,5 à 2 meses de idade. É o meu 1º gatinho e tenho muitas dúvidas. Quando chegou, cheirou toda a casa, já subiu e entrou em todos os lugares possíveis, mas não bebeu água e quase não comeu ração (indicada para filhotes). Também ainda não usou a caixinha de areia, nem fez suas necessidades em nenhum lugar. Como fazer com que ele saiba que lá é o banheiro dele? Está dormindo bastante, quase sempre se aconchega no meu colo, mas quando acorda mia bastante quando me olha, mas quando está só fica quieto. Poderia dar umas dicas pra esta mãe de primeira viagem?



Parabéns por ter adotado um animal abandonado Ele lhe será grato pelo resto da vida. A maior dica que posso te dar é: aproveite bastante essa fase. Nessa idade, os gatinhos aprendem tudo com muita facilidade e é quando ocorre a socialização. Tudo que ele vir e entrar em contato vai aprender a gostar. Mostre-lhe outros gatos (vacinados), cachorros (mansinhos, né!), crianças, pessoas, barulhos, brinquedos, enfim, todo tipo de estímulo, pois assim ele crescerá inteligente e confiante. Muito carinho e “conversa” nessa fase (chamando pelo nome dele enquanto faz carinho) faz com que ele cresça extremamente carinhoso. É importante agora mostrar para ele o que é certo e o é errado. Não se preocupe com a caixinha de areia, ele logo encontra. Se errar, da próxima vez fique de olho e quando ele mostrar que quer ir ao banheiro (cheirar um canto, “raspa” o chão e ameaçar de agachar), leve-o para o lugar certo, que ele aprende logo. Evite usar suas mãos para brincar com ele, nem brinque de maneira “violenta” (como a gente faz em geral com cães). Mãos devem ser associadas a carinho e brinquedos associados com “farra”. Não permita que ele lhe morda, nem de brincadeira. Dê-lhe muitos brinquedos, desde bolinhas de alumínio e de pingue-pongue até ratinhos de couro, vendidos em pet-shops. Cuidado com brinquedos que tenham fios (não deixe o gato sozinho com brinquedos que possam enforcá-lo) e também com fios de eletricidade. E pense na possibilidade de outra companhia felina!







Pergunta 7. Tenho dúvidas quanto ao adestramento. Ensinar um gatinho é igual como ensinar um cachorro? Como se dá o adestramento de uma gatinho (local de fazer xixi, o que ele pode ou não fazer...etc)?



O gatinho aprende muito cedo a fazer xixi e cocô na areia, antes de 1 mês de idade ele já manifesta os padrões de procurar a areia para eliminação de excretas e de cavá-la para cobrir. Então essa etapa é muito fácil: basta uma caixinha plástica com areia sanitária. Depois da primeira vez que fizer na caixinha, dificilmente vai errar. Se a mãe do gatinho estiver junto, ou ainda outro gato adulto, garanto que o gatinho acha o caminho. Se você não tiver gatos, simplesmente tente colocar o gatinho na caixinha de areia após a refeição e esperar. Outra dica: quando você perceber que ele precisa ir ao banheiro (cheira um canto, ameaça abaixar, “cava” com as patinhas), leve o gato pra caixinha de areia. Às vezes é só questão de lembrá-los que existe um banheiro! Para gatinhos órfãos até 1 mês de idade, que ainda não fazem as necessidades sozinhos e necessitam de estimulação da região perineal (área genital e ânus), faça movimentos circulares e delicados com ajuda de um algodão e imediatamente após coloque o gatinho de pé sobre a areia. Você pode embeber um papel com a urina dele e deixar na caixinha. A urina do filhote parece não ter cheiro, mas eles são capazes de sentir e reconhecer o cheiro ainda muito pequenos. Não se esqueça de limpar muito bem os locais que foram usados indevidamente com banheiro, porque eles sentem o odor da urina com muito mais facilidade do que nós. O princípio básico do adestramento do gato é mostrar a ele coisas que ele goste de fazer, além de impedir que ele venha a gostar de fazer coisas erradas. É muito mais delicado do que adestrar um cachorro, que além de se contentar com um carinho como recompensa, faz qualquer coisa por um petisco. Gatos são mais caprichosos e cada um gosta de uma coisa diferente. Então, mais fácil do que passar horas pedindo pro gato trazer uma bolinha pra você, é perceber QUEM É o seu gato e reforçar (com tom de voz carinhoso, com mais atenção) comportamentos legais que ele eventualmente faça. Desde pequeno, ensine a palavra NÃO, que deve ser usada toda vez que o gato fizer bobagem, como morder a gente, morder fios, arranhar móveis, subir em locais indevidos, etc. Assim que ele se comportar mal, grite NÃO, podendo acompanhar com um assoprão de leve no nariz deles. É quase instantâneo dizer o NÃO junto com o nome dele e isso deve ser EVITADO. Outra coisa, em hipótese alguma bata no gato. E além disso, não dê chances para que ele faça de novo, por exemplo, se um filhote morde seu calcanhar, reprima o comportamento (não + assoprão) e tire seu calcanhar de vista. Talvez você não consiga evitar que ele arranhe os móveis ou suba na pia, mas é essencial que você ensine que morder é proibido. Alternativas ao não + assoprão (devem ser feitas na mesma hora em que o comportamento “mau” foi exibido): esguicho de água na cara (com pulverizador, obviamente que não tenha sido usado para guardar produtos químicos), fazer um barulhão para assustar o gato (se você conseguir fazer isso sem que o gato suspeite que foi você é melhor ainda, pois o gato vai evitar fazer a bobagem mesmo que você não esteja por perto). Além disso, grudar fita adesiva dupla-face na superfície da pia, mesa e até nas bordas do sofá incomodam o gato, que evita subir/arranhar esses locais. Agora se você quer que seus gatos dê piruetas, vai precisar de sessões de adestramento diárias. Existe uma técnica que utiliza o “click-train”. Há endereços na internet que ajudam a ensinar essa técnica de adestrar cães e gatos.







Pergunta 8. Tenho um gatinho, adotado na Suipa, de aproximadamente 3 meses de idade, que chegou bem magrinho e com idade aproximada de 1,5 a 2 meses. Após tomar a 1ª dose de vermífugo ele teve bastante diarréia e ainda sai sangue nas fezes. Ainda vejo sangue algumas vezes, apesar da diarréia ter cessado. Já foram feitos outro exames e nada constou. Aparentemente ele é muito saudável, brinca bastante (e como!), bebe muita água, come a toda hora e está com o pêlo bem bonito, mas gostaria de saber se existe alguma forma para ele engordar um pouquinho, sem lhe tirar o hábito da ração seca. Ele realmente está bem magrinho, com os ossinhos aparentes! Poderia ser algo mais sério?



O sangue nas fezes pode indicar, desde a presença de vermes, protozoários, bactérias patogênicas ou vírus, até uma sensibilidade aos componentes da ração.



Alguns animais podem apresentar dificuldades de digestão ou absorção de nutrientes e, embora tenha apetite e estejam vivazes, continuam magros. Isso, principalmente se associado a diarréia crônica, deve ser investigado mais profundamente pelo Veterinário.



Se quiser trocar de ração para fazer um teste, dê preferência para uma de alta digestibilidade (rações super-premium). ***Importante***: a troca da ração deve ser gradual. No primeiro dia, misturar as duas na proporção 3/4 da antiga com 1/4 da nova; após dois dias, meio a meio. Após outros 2 dias, 3/4 da nova com 1/4 da antiga, para finalmente, após 7 dias do início da troca, oferecer somente a ração nova. Os resultados da troca de ração devem ser esperados em, no mínimo, 2 semanas. Quanto melhor a qualidade da ração, haverá menor ingestão.



Outra possibilidade é a presença de vírus que causam enterites. Na maior parte dos casos, os vírus entéricos (coronavírus felino, vírus da panleucopenia) causam sintomas mais graves, portanto fique atenta a uma eventual piora.



Pode-se ainda pensar em pêlos ingeridos durante a auto-limpeza e que são um tanto abrasivos para o trato digestivo. Existem produtos especiais para auxiliar na eliminação dos pêlos ingeridos, que podem ser dados semanalmente para o gato. Outro problema comum em bichos que tomaram antibiótico por muito tempo é a eliminação da flora normal dos intestinos, bactérias que ajudam a digerir alimento. Neste caso, procure o Veterinário para um medicamento específico que repõe a flora (Bebidas humanas com lactobacilos não devem ser oferecidas, pois há risco de piorar a diarréia, por serem produtos lácteos – e portanto intoleráveis por alguns animais que não estão habituados a laticínios).



De qualquer forma, o Veterinário pode pedir um hemograma completo, exame que é capaz de indicar se existe alguma condição infecciosa que não esteja sendo manifestada clinicamente. Se nada for constatado, faça outros exames de fezes daqui a alguns meses, de preferência seriados (recomendam-se exames em 3 dias seguidos), pois alguns protozoários como Giárdia e Isospora são difíceis de aparecer em exames isolados. Lembre-se de trocar a caixinha de areia e desinfetá-la, assim como lavar e desinfetar a área do banheiro e da comida do seu gato, nesses dias de exames e de tratamento, para que não haja reinfecção (do que quer que seja). O procedimento de alimentá-lo é: potinho de ração à vontade, para que o gato se alimente de pouco em pouco, várias vezes por dia.







Pergunta 9. Meu gato perdeu os 4 dentes incisivos laterais de leite e os permanentes já estão apontando. É normal aos 3 meses ?



A idade dele, como você descreveu, deve estar entre 3 e 4 meses, no máximo.



Os dentinhos do gato começam a nascer ao redor das 3 semanas de idade. Os últimos dentes de leite (os pré-molares) devem nascer até 6 semanas de idade. A dentição de leite do gato é constituída por 12 pequenos incisivos (6 embaixo e 6 em cima), 4 pequenos e pontudos caninos (2 embaixo e 2 em cima) e 10 pré-molares (4 embaixo e 6 em cima), totalizando 26 dentes.







Pergunta 10. Como saber a idade certa de um gato? Se for seis meses já devo castrá-lo?



É difícil saber a idade exata de um gato, mas, examinando os dentinhos, dá pra fazer uma estimativa.



Você pode castrá-lo assim que ele tiver os testículos dentro da bolsa escrotal. A puberdade, em que tem início a produção de hormônios sexuais, geralmente ocorre nos machos a partir dos 6 meses de idade.







Pergunta 11. Ao tentar salvar a vida de gatinhos órfãos e recém-nascidos o que devo fazer? De quanto em quanto tempo devem mamar? Quanto de leite e que tipo de leite devo dar?



A primeira providência é manter os filhotes aquecidos. Na primeira semana de vida, a temperatura do animal depende exclusivamente da temperatura do ambiente, que deve ser 30 graus, fornecida por uma bolsa de água quente, ou colchão térmico, mas não por lâmpada (pode desidratar o gatinho). Nas 3 semanas subseqüentes, a temperatura do ambiente (da bolsa térmica) pode ser abaixada para 25. Enquanto você manda alguém ligar para todos que conhece a procura de uma gata recém-parida para servir como mãe adotiva (o ideal), prepare a alimentação. Existem fórmulas comerciais de leite de gata (pode ser de cachorra) que são facilmente encontradas em lojas de ração. A temperatura da alimentação deve ser de 35 graus. Não dê leite de vaca, porque é fraco em proteínas e gorduras. Mas se esta for a única opção, prepare uma fórmula caseira, cuja receita você deve pedir ao seu Veterinário. Na primeira semana, dar 13 ml para cada 100 g de peso por dia, divididos em 5 vezes por dia. Na segunda semana, 17 ml. Na terceira, 20 ml mais alimento sólido (ração de filhotes, amolecida ou úmida). Na quarta semana, aumente a proporção de ração. Com 6 a 8 semanas, desmame. Para dar a fórmula, use uma mamadeira pequena e especial para animais. Em geral, o filhote mama o quanto precisa, portanto as doses de alimento são um controle, não uma regra. Evite usar seringas, que são difíceis de controlar e você pode, sem querer, induzir pneumonia por aspiração de alimento. Filhotes que não mamam devem ser levados ao Veterinário imediatamente. Ele poderá ensinar-lhe a alimentar o gatinho por tubo gástrico. **Aliás, tenha à mão o telefone do seu Veterinário, para dúvidas e emergências.** O gato deve dobrar o peso ao nascimento em 10 dias. Convém pesá-lo diariamente para seu controle e para ajudar o Veterinário. Após cada alimentação, é importante imitar os cuidados da mãe, estimulando a região perineal com um algodãozinho (para que urine), e colocar na caixinha de areia para ele ir se acostumando. Duas vezes por dia, muita massagem delicada e carinho. Se o órfão for sozinho, coloque outros filhotes ou adultos junto para ele brincar e socializar. Mas cuidado, pois órfãos podem mamar uns nos outros e, assim, provocar graves feridas. Acima de tudo, 24 horas por dia, muito amor. Assim que o filhote estiver calmo e alimentado, leve ao Veterinário para um exame geral. Cuidar de órfãos é um desafio. Quando conseguimos é recompensador! Boa sorte e parabéns!







Pergunta 12. Adotei um gatinho de aproximadamente 2 meses há 1 semana. Ele mia muito (só não mia quando dorme), pede colo o tempo inteiro, e parece até berrar. Não sei se está mal acostumado com colo ou se está com dores. O Veterinário disse que ele está saudável, mas às vezes me parece que tem algo errado. A alimentação já está acertada: ração seca misturada com ração de lata. Há três dias ele tomou a 1ª dose do vermífugo, e desde então está com as fezes bem mole e fazendo várias vezes por dia. Isto é normal? Tem algum alimento que possa fazê-lo melhorar?



Filhotes invariavelmente miam bastante: acabaram de se afastar da mãe e dos irmãos e começaram a conviver com pessoas, que não entendem muito bem suas necessidades. Mas do que precisam então? Muito conforto, calor, carinho, comida e água. Você é a nova mãe dele e deve fazer com que ele tenha tudo isso a maior parte do tempo. Ele deve ter um lugarzinho especial para dormir e, nessa idade, não pode ficar sozinho por muitas horas. O ideal seria ter outra companhia felina. Dois filhotes crescendo juntos tornam-se gatos mais seguros e inteligentes. Se isso for impossível, você deve oferecer a ele pelo menos duas horas de brincadeira por dia. Bolinhas e ratinhos de brinquedo fazem qualquer gatinho esquecer da vida. Não são todos os donos que têm o privilégio de ter um gato “bom-de-colo”. Quanto a isso não se preocupe, pois gatos raramente apresentam problemas de comportamento por excesso de carinho ou colo (como no caso dos cães, que devem ser ensinados a ficar um pouco sozinhos, senão podem desenvolver apego excessivo ao dono). Em geral gatos gostam de algumas horas de solidão, mas não se pode exigir isso de um filhote. Dê colo, mas também estimule o gatinho a brincar bastante. Após o vermífugo é normal as fezes ficarem moles, com freqüência aumentada por alguns dias, dependendo do tipo de vermífugo. Isso ocorre porque os vermes que se soltam aumentam o volume de água no trato intestinal (um efeito osmótico). Seja devido ao vermífugo ou à adaptação à alimentação, é comum o desconforto abdominal e/ou a presença de cólicas devido a gases. Fazer massagens na barriguinha dele em geral é suficiente para aliviar os gases. Mas se ele sentir dores, leve ao Veterinário. Não dê outro alimento além da ração.











Reprodução







Pergunta 1. Aplicar injeções para a gata não entrar no cio é prejudicial?



O uso de hormônios para inibir o cio é altamente prejudicial.



Em primeiro lugar, o tratamento com progestágenos (anticoncepcionais à base de progesterona) aumenta o risco de a gata desenvolver futuramente câncer em útero, ovários e em mamas. Esse risco é tão maior quanto maior for o número de injeções, mas, diferentemente do que ocorre nas mulheres (para as quais o uso de anticoncepcionais é seguro), nas gatas mesmo poucas aplicações podem dar problema.



Além disso, há efeitos colaterais e riscos imediatos decorrentes da aplicação do hormônio. Deve-se tomar muito cuidado com gatas que saem de casa, ou que têm acesso a machos, pois a aplicação em uma gata que já tenha cruzado pode colocar a vida dela em risco. Assim, além de predispor a fêmea a uma infecção uterina, o anticoncepcional provoca efeitos colaterais sobre o metabolismo do corpo – a gata fica letárgica, ganha peso, pode ter diabetes – e é tóxico para o fígado.



Hoje em dia veterinários conscientes não fazem a aplicação sem antes relatar os riscos ao proprietário. Eu não recomendo e não uso nos meus animais. Se o uso for realmente necessário, no caso de uma viagem, se a gata no cio estiver causando muito incômodo e a castração não puder ser realizada de imediato, ou ainda se o animal não puder passar por uma cirurgia devido a alguma condição médica, a aplicação deve ser feita sempre sob supervisão veterinária. Usar qualquer produto por indicação de um balconista ou de conhecidos pode colocar a vida do animal em risco.



Por outro lado, a castração das fêmeas, além de impedir a cria, previne infecções e tumores de útero e de ovário (já que estes são retirados na cirurgia) e diminui o risco de a fêmea desenvolver câncer de mama no futuro, principalmente quando feita na fêmea jovem, com menos de um ano de idade. Portanto, além de não ter riscos em animais saudáveis, a castração oferece benefícios.



Infelizmente a maioria dessas informações sobre anticoncepcionais não consta nas bulas. Portanto o que o dono pode fazer é procurar não usar esse meio de inibir o cio, e sempre ficar atento a sinais como corrimentos, aumento de volume abdominal, cios irregulares, cio exagerado (ninfomania), pseudo-gestação (gravidez psicológica), caroços nas mamas, pois esses sintomas podem indicar um problema reprodutivo que exija consulta veterinária imediata.







Pergunta 2. Com quantos meses posso castrar a minha gata? A castração pode ser feita logo após ela cruzar e sair do cio? Pode ser feita sem nenhum dano para o animal?



A gata geralmente é castrada a partir de seis meses de idade, mesmo antes do primeiro cio. Pode ser até antes, pois mesmo filhotinhos são castrados sem problema algum, desde que haja maiores cuidados durante a cirurgia e o pós-cirúrgico, como o uso de anestesia inalatória, aquecimento e alimentação parenteral (soro).



Se você deixar ela cruzar e depois castrar, retirando ovários, trompas e o útero com os fetos, não há problema algum para a gata, desde que a gestação não esteja avançada, pois o risco de sangramento vai aumentando. A decisão de abortar é sua e do Veterinário que vai realizar a cirurgia, e para a gata não faz diferença.







Pergunta 3. O comportamento da gata muda quando ela entra no cio?



O comportamento das gatas muda completamente quando estão no cio. Em geral, começa com uma fase em que ela chama o gato: mia bastante e bem alto, passa a ficar mais carinhosa, se esfregando na gente e nos objetos, deita e rola no chão, anda muito, sobe mais em lugares altos. Pode começar a fazer xixi em objetos e móveis. Logo começa a piorar, tudo isso fica mais forte, a gata anda com a cauda e com o bumbum levantados, ao mesmo tempo em que abaixa o corpo, é a fase do cio propriamente dita, quando ela se oferece e aceita o gato. Muito cuidado, porque se houver um meio de fugir, ela foge. A puberdade da gata pode começar logo cedo, a partir dos 4 meses de idade, mas o mais comum é após os 6. O cio dura de 5 a 10 dias e, dependendo da gata, pode voltar após 1 semana (ou até 2 meses). Não há sangramento, como na cadela. Além disso, ao contrário do que algumas pessoas pensam, machos não entram no cio.



Como em geral esses comportamentos incomodam, a melhor solução é castrar. Não pense em aplicar injeções anticoncepcionais, porque podem causar câncer e outros problemas graves.







Pergunta 4. Um gato, após castrado, sente desejo sexual? Ele pode engravidar uma fêmea?



Isso depende da idade com que o gato foi castrado. Em geral, gatos castrados quando filhotes não manifestam interesse por fêmeas no cio e, se manifestam, não sabem que atitude tomar: ficam só cheirando a gatinha, às vezes até chegam a prendê-la, mordendo sua nuca, mas não passa disso. Gatos castrados quando adultos levam algum tempo para parar com a vida de “machão”, devido aos hormônios que permanecem na circulação por um ou dois meses. Aqueles que já cruzaram alguma vez na vida podem manter interesse por gatas no cio e até cruzar com elas. Mas com certeza não vão engravidar ninguém!







Pergunta 5. Com qual idade uma gata entra no cio pela primeira vez? E depois que nascem os filhotes com quantos meses entra no cio outra vez?



O primeiro cio pode ocorrer partir dos 5 meses, em geral, até 1 ano de idade. Após o nascimento dos filhotes, a gata pode entrar no cio novamente em menos de 1 mês, ainda enquanto estiver amamentando. Isso depende da gata e também da época do ano, sendo que nos períodos mais quentes os intervalos entre cada cio são mais curtos.







Pergunta 6. A castração do macho deve ser antes ou depois da puberdade? Caso o certo seja antes, qual a melhor idade e por que nesta idade? A castração interfere na massa óssea, facilitando fraturas?



A castração antes da puberdade é um assunto ainda polêmico no Brasil, no entanto, nos Estados Unidos ela vem sendo praticada em quase todos os abrigos de animais abandonados. A retirada dos testículos em machos e a retirada de ovários, trompas e útero nas fêmeas, tem como conseqüência a ausência de andrógenos e estrógenos, que são os hormônios reprodutivos predominantes nos machos e fêmeas, respectivamente. Pesquisas mostraram que isso pode acarretar em maior tempo de crescimento (então o gato pode ficar de tamanho maior do que seria no caso de não ter sido castrado, ou do que ter sido castrado após a puberdade), sem, no entanto, ter sido comprovado efeito algum sobre risco de fraturas em ossos. Outros problemas, como maior incidência de vaginite nas fêmeas e obstrução uretral nos machos, também foram estudados, mas não foi observada relação com a castração precoce. Por outro lado, as vantagens da castração antes da puberdade são muitas: a castração de fêmeas, principalmente antes do primeiro cio, diminui bastante a incidência de tumor de mama e de outros tumores que são “alimentados” por hormônios reprodutivos. Outra doença grave que é prevenida com a castração é a piometra, infecção do útero em geral decorrente de alterações hormonais e do uso de anticoncepcionais. Sobre o comportamento, a vantagem da castração de machos e fêmeas é ter um animal mais dócil, mais caseiro, menos territorial – e, portanto, menos agressivo e que não marca território com urina – o que diretamente aumenta a sobrevida do animal, principalmente de animais que têm acesso à rua, já que esse gato, por ter sido castrado antes de desenvolver o hábito de vadiar, vai andar menos na rua e brigar menos, estando desse modo menos sujeito a doenças (como AIDS felina, leucemia felina) e maus tratos (envenenamentos, pancadas); nas fêmeas, há ausência total de cio com a castração, que é portanto o único meio de impedir a reprodução sem causar danos ao animal.



Ao contrário do que muitos pensam, a obesidade não está diretamente relacionada à castração, mas sim aos hábitos alimentares: se o animal adulto, castrado ou não, eventualmente ficar menos ativo, deve-se reduzir a ingestão de calorias, fornecendo alimentação adequada, para que não ganhe peso. A partir do momento que o animal engorda, aí é necessário fornecer mais atividades (na forma de brincadeiras) para que não se torne sedentário.



A maior vantagem que eu vejo na castração de filhotes é a redução do crescimento populacional de animais. Gatas que saem à rua vão emprenhar e fazer com que a sua família felina aumente, obrigando você a cuidar dos filhotes ou a arranjar donos para eles. E os gatos? Ninguém fica sabendo quantos filhotes eles estão gerando por aí, apenas notamos os machucados devido a brigas na disputa por fêmeas na rua. Ser um dono responsável é parar com essa história e ajudar a diminuir o número de animais nas ruas. Não existe idade certa para castração, você pode levar seu gato para ser castrado quando quiser, lembrando que quanto mais cedo ele for castrado, menos territorial ele será e menos filhotes vai produzir. O que NÃO se pode pensar é que, por exemplo, a fêmea deve ter o primeiro cio antes de ser castrada. Ou que, por vaidade, você quer ser “avô” ou “avó”. Ora, com tantos animais abandonados nas ruas, de todas as cores e padrões, pra quê gerar mais? Em geral, tenho visto que muitos Veterinários em São Paulo não castram animais antes dos seis meses de idade. Levando-se isso em consideração, sugiro a idade ideal da castração aos seis meses, quando o animal já está grandinho, mas ainda não teve chance de gerar filhotes (às vezes é tarde demais, já que algumas fêmeas têm primeiro cio antes mesmo dos seis meses).



Para saber mais: SOARES, J.A.G.; SILVA, P.A.R. Castração precoce em cães e gatos.



Revista Clínica Veterinária, n. 13, 1998.







Pergunta 7. Quanto tempo dura o cio da gata? É verdade que depois que acaba os dois gatos nem querem mais se ver?



O cio dura de 5 a 10 dias.



Na natureza, as fêmeas e os machos adultos não têm o hábito de viver em comunidade. Encontram-se em geral apenas durante o período de reprodução, quando as gatas entram no cio e, logo após o cruzamento, a fêmea fica agressiva e pode atacar o gato.



Já gatos que têm casa, ou mesmo gatos de rua que são recebem cuidados de pessoas, têm um comportamento diferente, sendo nesses casos muito mais sociáveis do que os errantes. Assim, a relação entre machos e fêmeas que são alimentados pelos seres humanos pode variar desde uma discreta tolerância à convivência até uma grande amizade, podendo tornar-se gatos que não conseguem se desgrudar.







Pergunta 8. Quanto tempo dura a gestação da gata e quais os cuidados a serem tomados?



A gestação dura de 2 meses a 2 meses e 1 semana. Os cuidados são: alimentação adequada (ração de boa qualidade, em geral a mesma recomendada para filhotes), um ambiente tranqüilo e exercícios leves (na forma de brincadeiras). A fêmea não pode ser vermifugada, vacinada e medicada durante a gestação, sem que haja estrita recomendação veterinária. Gatas de raça requerem mais cuidados, principalmente nas proximidades do parto, pois são predispostas a terem problemas para parir e para cuidar dos filhotes.







Pergunta 9. Tenho uma gata persa de 2 anos, levei ela para cruzar já faz uns 30 dias e estou com dificuldades em saber se ela está prenhe. Os mamilos estão um pouco inchados, mas há 5 dias parece que ela entrou no cio. Como posso ter certeza?



O diagnóstico de prenhez, assim como o acompanhamento da gestação, deve ser feito pelo Veterinário, que vai cuidadosamente palpar o abdome da gatinha e submetê-la a exames. É possível detectar os fetos por palpação entre o 24.º e 31.º dias de gestação. Após esse período, pode-se fazer exames ultrassonográfico ou radiológico do abdome. Mamilos inchados podem ser sinal de prenhez, mas também de gravidez psicológica ou de algum problema, por isso, só o exame veterinário pode dar certeza. Sim, nas gatas pode ocorrer cio durante a gestação, por isso cuidado!







Pergunta 10. Como saber se minha gata está grávida? Ela não sai, não deita de barriga para baixo e está bem pesada, isso pode ser alguns sintomas de gravidez?



Isso pode ser sintoma de gato doente. Para saber se ela está prenhe, e excluir um problema clínico, você deve levá-la ao Veterinário. Existem sinais que pode indicar gravidez (por exemplo, as tetinhas tornam-se rosa-avermelhadas), mas não confirmam, já que em gatas também ocorre pseudogestação. Da mesma maneira, um aumento de volume da barriga pode parecer prenhez, mas por outro lado pode ser infecção do útero, o que é gravíssimo, ou ainda um acúmulo de líquidos na cavidade abdominal. Leia mais sobre diagnóstico de prenhez na resposta n.º 9.







Pergunta 11. Como posso aumentar a ninhada de gatos?



Não se deve interferir na fisiologia da reprodução. Se existisse uma maneira de aumentar a ninhada de uma gata, ela seria prejudicial à saúde do animal, colocando sua vida - e a dos filhotes - em risco. Além disso, numa época em que a superpopulação animal está fora de controle, devido à irresponsabilidade do ser humano, não devemos propagar a idéia de se gerarem mais animais. Felizmente muita gente tem pensado ao contrário, divulgando a posse responsável e promovendo campanhas de castração.







Pergunta 12. Ontem eu acordei e não vi meu gato. De tarde, ele veio em casa, comeu. De noite, eu ouvi um gato miando na minha janela. Quando eu abri vi que era uma gata preta com quem meu gato está andando. Eu só vi a gata. Ele ainda não apareceu. O que é mais provável: A gata está no cio e quando acabar o gato vai voltar pra casa ou ela teve filhotinhos e enquanto procura comida meu gato cuida deles (Embora eu ache que o meu gato não é o pai, pois ele nunca saiu de casa)?



Bem, quando o negócio é fêmea, em geral o gato volta após o término do cio (e do acasalamento). O problema são as coisas que acontecem durante esse período – e que você não fica sabendo a não ser pelos sintomas que ele traz depois: arranhões, machucados e doenças. Quando o gato não volta, infelizmente é quase certo que ele tenha sofrido ação do ser humano: foi roubado ou morto. Gatos que saem à rua vivem menos, seja porque pegam doenças no contato com outros gatos, seja porque estão sujeitos a atropelamentos, envenenamentos e demais maus-tratos. Castrar o gato ajuda bastante, pois deste modo exclui-se o fator hormonal como estímulo para procurar fêmeas no cio: o resultado é que o gato castrado fica mais tempo em casa, ou ainda que percorre distâncias menores quando sai. O que resolve de vez essa angústia “Será que meu gato vai voltar ?” é castrar o gato e passar a mantê-lo dentro de casa, em outras palavras: exercer a posse responsável.







Melhores correspondências para em que idade uma gata entra no cio

Blanco
Com qual idade uma gata entra no cio pela primeira vez? E depois que nascem os filhotes com quantos meses entra no cio outra vez?... Ir para o texto »

Nenhum comentário:

Postar um comentário